Viagem

Palácio Nacional de Mafra, Portugal

O Palácio Nacional de Mafra é uma jóia que fica a 25 km de Lisboa. Não é dos pontos turísticos mais conhecidos de Portugal e, talvez por isso mesmo, um passeio muito tranquilo de fazer, sem filas e muvucas. E acredite, incrível, você vai se surpreender! Um lindo e imponente prédio barroco com convento e basílica, que guardam obras de arte e muita história lusitana.

A simpática Mafra

 

História:

Uma das grandes curiosidades desse Palácio diz respeito a sua construção. No ano de 1711 o rei D. João V, o monarca mais extravagante de Portugal, estava casado há três anos com D. Maria Ana da Áustria sem nenhum herdeiro à vista para dar continuidade  a dinastia. Para a sociedade da época era um problema seríssimo! Foi então que uma conversa entre frades de Mafra com o bispo Capelão-Mor, resultou em uma promessa: eles pediriam a Deus um filho para a Majestade em troca de um convento na Vila de Mafra! E assim, em março do mesmo ano, o rei se comprometeu com a construção do convento para a Ordem de São Francisco. E o rebento? Sim, o apelo à Deus funcionou. Em dezembro nasceu a Infanta D. Maria Bárbara. E a obra começou em 1717 finalizando em 1730, mais ou menos.

No início, o projeto era modesto e previsto para abrigar somente 13 frades franciscanos, mas os planos mudaram radicalmente e não houve economia. Com o ouro do Brasil,  52 mil homens construíram o mosteiro para 330 frades, um palácio real e uma das melhores bibliotecas da Europa, tudo decorado com mármore, madeiras exóticas e numerosas obras de arte. A maior parte da mobília e  do acervo de arte foram levados para o Brasil na fuga da família real da invasão francesa em 1807.

O arquiteto responsável foi formado na Itália, Johann Friedrich Ludwig e o edifício foi construído com pedra lioz da região de Pêro Pinheiro, Sintra e Cascais.

O mosteiro foi abandonado em 1834 após a dissolução das ordens religiosas e o palácio em 1910, quando o último rei português, Manuel II, fugiu para o exílio em Ericeira.

O Palácio está aberto para visitas todos os dias, com exceção das terças-feiras, das 9h30 às 17h30. Aqui você encontra mais informações sobre a bilheteria. Eu recomendo no mínimo uma manhã inteira para caminhar nos longos salões e poder apreciar tudo com atenção e calma.

Núcleo de Arte Sacra na entrada

A visita começa pelas salas do mosteiro, passando pela cozinha e depois farmácia (botica), com seus potes antigos de medicamentos e alguns instrumentos médicos de época, surpreendentes e ao mesmo tempo, aterrorizantes.

A enfermaria é muito curiosa porque os leitos estão praticamente dentro de uma igreja. Todos os domingos, as camas dos doentes eram empurradas até o meio da sala para os enfermos assistirem à missa deitados.

Salões suntuosos se estendem por todo o andar de cima do palácio assim como os apartamentos do rei e da rainha, cada um numa extremidade do edifício.  Digamos que mantinham uma certa distância regulamentada… No meio do caminho, salas e mais salas com afrescos belíssimos: sala de audiência, sala das descobertas, sala da benção, sala de música, de jantar, da guarda, etc. E e as duas torres gêmeas da basílica.

Sala de Diana, a deusa da caça

Sala do Trono

Sala da Benção

A igreja tem seis órgãos e mármores em cores contrastantes
Quarto de Cama, possivelmente pertenceu à rainha D. Maria II
Quarto do Torreão Sul
Sala de Toalete
Sala de Música, ao fundo quadro com D. Maria Amélia Imperatriz do Brasil com sua filha
Sala de Música, ao fundo quadro com o nosso D. Pedro II
Sala de jogos com mesa de bilhar
Casa de jantar
A impressionante Sala de Caça
Mobiliário feito de chifre de cervo

Grotesca coleção de cabeças de javali e chifres

Biblioteca: o maior tesouro de Mafra! Com piso todo desenhado em mármore e estantes de madeira entalhada em estilo rococó, ocupa a mais nobre sala de todo o palácio com 85 m de comprimento e 9,5 m de largura.  Sua coleção de mais de 36 mil livros contempla temas dos mais variados como Teologia, Direito Canônico e Civil, História, Geografia, Viagens, Arte, Medicina, Música, etc.  Existem obras em encadernação de couro e relevos em ouro, incluindo uma preciosa primeira edição de Os Lusíadas (1572), de Luís Vaz de Camões, o grande poeta português.

A organização dessa biblioteca, feita por Frei João de Santa Ana, teve início em 1809 e está aberta ainda hoje com visita previamente agendada. Outra curiosidade é que a biblioteca de Mafra possui cerca de 750 livros proibidos pela Igreja Católica. São obras com textos religiosos, política social e a cabala. Em 1754, o Papa Bento XIV concedeu autorização para tê-los, mostrando a importância da Livraria, porém, esses livros jamais poderiam ser emprestados, sob pena de excomunhão, sem licença do rei de Portugal.

Os jardins

Pertinho de Mafra está Sintra com seu lindo Palácio Nacional outra preciosidade de Portugal!!

2 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: