Crônica

E se Deus não quiser? Eu quero!

Um assunto delicado esse de crer, de ter fé, força e foco. Isso de pensamento positivo então já rendeu até livro best seller e filme. O segredo. E era um segredo tão bem guardado, que pelo que me parece à taxa de milionários continuou a mesma no mundo inteiro. Também não foi muito eficiente aos líderes europeus, dada a última crise econômica que fedeu por lá e cheirou aqui. Se bem que, analisando friamente, a autora da tal obra, sem dúvida, está gozando de boa sorte. E da nossa cara também.

Bacana ter postura positiva diante da vida. Otimismo. Acho legal mesmo. Até defendo isso! Mas o tema que quero dividir, e que me irritou profundamente no meu período reflexivo-final de ano, é sobre creditar o futuro da humanidade no poder divino dos céus. Nem vou entrar na seara religiosa. Cada um na sua e Deus em todas. Olhando por nós. Mas juro que me dá nos nervos num grau de potência máxima, sentar e esperar que Deus, ou seja lá a força que existe no andar de cima, descortine nosso fim.

Pode ser através de Buda, Alan Kardec ou até da Pomba Gira, mas você acredita mesmo que nosso destino está desenhado como num joguinho infantil de tabuleiro? Essa é a cena: está lá Jesus Cristo acompanhado de todos os santos ou com os deuses do Olimpo, sentados com os dados nas mãos, atirando e rolando nossas vidas! Ande duas casas para frente! Agora, pule uma casa para trás! Para trás? Pronto! Aqui é que entram as pessoas para justificarem nossas derrotas e fracassos. Inclusive a boa desculpa para não ir em busca de qualquer coisa. Principalmente dos sonhos.

Vamos pensar juntos. Será que tem que ser assim mesmo? Você está aí querendo muito que uma coisa importante aconteça e nada. Simplesmente não acontece. Tem sempre alguém para te dizer, que não é a hora! Deus não quis! Vai se abrir uma janela, uma porta ou uma basculante. Virá coisa melhor. São tantas as frases para te consolar usando o supremo, a força do além, que dá para competir com a bíblia! Salve aleluia, salve! Há quem garanta que você se livrou de uma roubada. Afinal, Deus sabe o que faz.

Mas ninguém te questiona o que você realmente fez para conquistar. Muito menos o quanto você quer aquilo, com todas as suas forças. Não tem que ser assim? Identificar seu objeto de desejo e agarrá-lo com unhas e dentes? Eu penso que buscar a realização é muito mais do que esperar os dados rolarem ao seu favor! É levantar a bunda do sofá e esgotar todas, eu disse todas, as possibilidades e alternativas. Não sei ser diferente. Sou obstinada mesmo. E estou quase odiando o clichê do “não era para ser”.

Eu sou dona da minha vida e vontades, sou eu quem sei quando é a hora do que quero. Minha fé é na força do ser humano e de sua capacidade. Meu foco é nos meus objetivos. Não aceito esperar ganhar o jogo predestinado a mim, nem a desculpa dos conformados. Não quero ouvir mantras do que tiver de ser, será. Geraldo Vandré cantava em plena ditadura militar brasileira: quem sabe faz a hora, não espera acontecer!! Proponho deixarmos este discurso acomodado de lado e corrermos muito, com toda a pressa que a vida passa e conquistarmos o mundo. Ou pelo menos parte dele. Caso contrário, volte ao ponto de partida e perca uma rodada. E seja o que Deus quiser!

3 comentários

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s