Memórias

Museu de Marionetes em Lyon

Lyon, 28 de outubro de 2004.

Oi mãe!

Tudo bem por aí?

Hoje fui a Vieux Lyon no Museu de Marionetes. Aqui é bem famosa as marionetes chamadas Guignol (um cara inventou no século 18). Os bonecos tem mecanismos e se movem. Foi bem legal, mas não aprendi muita coisa, só pude observar e achar os bonecos bonitos e bem feitos. Porque o Museu era falado e não escrito, em francês. Não que eu leia em francês, “tá se fazendo”, mas a gente sempre entende alguma coisa, né? Agora largaram um francês a falar o tempo todo através de uma gravação… aí fudeu! Não entendi nada. Trouxe os folhetos para ler com o Renato em casa! Hahahahaha! E paguei 5 euros pela porra! Mas tudo bem!

Mas o melhor de tudo foi o espetáculo, de graça, que vi na rua. Antes de mais nada, quero saber se os Goes não tem descendência francesa, pois o povo aqui gosta mesmo é de uma briga. Lembra que eu contei que vi uma moça sentar a mão na cara do namorado? O Renato presenciou uma briga de trânsito entre seu motorista e outro cara. O cara saiu do carro e quase foram às vias de fato. Outro dia eu, andando pela rua, também vi uma briga de trânsito em que as mulheres sairam do carro e bateram a maior boca, no meio da rua. Tudo aos berros, a sensação que temos é que vai rolar tapa. Porrada!!

Pois hoje eu vi tapas e socos!! Um casal estava carregando seu carro estacionado, quando bateram a porta, sem querer, em um cego que estava descendo a rua. Bem, o cego se parou aos ponta pés no carro, prensou o cara entre a porta e o carro e fechava a porta em cima do cara. Gritavam, acho que o cara dizia que não o tinha visto, a mulher chorava e todo mundo olhava, inclusive eu. Aí o cego saiu e eles atordoados viram que o cego tinha amassado a porta e ela não fechava mais. Pra que!! O cara saiu correndo até a esquina atrás do cego, catou ele pelo cangote, se tapearam e se socaram. Aí o cara agarrou o cego e levou até a polícia que tinha bem em frente. Entrou no prédio com o cego pela mão. Depois a mulher entrou atrás deles.

Mãe, já imaginou? E eu e todo o povo (o cara do crepe parado do meu lado) olhando aquele barraco internacional. Fiquei besta. Até comi um crepe para acreditar no que tinha acontecido, fui obrigada! Aqui é assim. O povo gosta de brigar, é impressionante.

Pretendemos ir para umas seis cidades na Provence (sabe como se diz? Prrovãnce!!! hahaha). É lá que tem os campos de lavanda= alfazema, mas acho que nessa época já teve a colheita, mas mesmo assim, deve ser lindo. Aqui tem uma loja com artigos de lá e tem muitas coisas liiiiiindas, vários raminhos de alfazema. Lá é tudo roxinho e branco. As cidades são Avignon (onde tem o Palácio dos Papas do século 13), Nimes (onde tem a Pont du Gard, um aqueduto romano), Arles (Van Gogh morou lá e tem arenas romanas também), Sait Paul de Vence (diz que é uma cidadela medieval charmosíssima), Gordes (que dizem ser uma das mais belas aldeias de Provence, no alto de uma montanha), Grasse (a capital do perfume), Aix en Provence (diz que tem feiras livres com doces de marzipã e melão, sentiu?). As fotos que tem da Provence são maravilhosas, vamos ver.

O Gordo escreveu dizendo: “maravilha! Estou babando pelas fotos!”

Acho que ele gostou! E hoje mandei outro mail pra ele!

Bem, amanhã escrevo mais!

Mil beijos, Saudades, te amo

Dani

Nota: O Guignol é um personagem inventado em 1808 por Laurent Mourget – um tecelão desempregado que decidiu tornar-se dentista por conta própria para ganhar alguma renda. Diz a lenda que viajando de cidade em cidade com seu boticão de extrair dentes, muitas vezes os pobres pacientes de monsieur Mourget fugiam assustados de seu consultório improvisado ao ouvir os gritos do paciente que estava sendo atendido. Para evitar perder a freguesia, o criativo Mourget criou um bonequinho à sua semelhança para divertir as pessoas que estavam na sala de espera enquanto ele trabalhava. O Guignol (o tal bonequinho de Mourguet) tornou-se tão popular que ele acabou optando por deixar de lado a profissão de dentista, para se tornar um famoso manipulador de fantoches. A idéia acabou se espalhando e passaram a existir muitos Guignols pela França. Você encontra mais informações aqui no site do Museu

2 comentários

  1. O carrossel me encantou! Amei! Cada detalhe né. Não sou saudosista porque não tenho idade (só), pois eu olho pra isso e penso na qualidade dos artigos que deixaremos para a posteridade. Não serão coisas lindas assim, com certeza! Obrigada Dani!

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s